sábado, 29 de setembro de 2012

Carro voador é vendido nos Estados Unidos por R$ 500 mil

27/09/2012 G1

Desde a existência dos congestionamentos, não raramente escutamos que uma das soluções plausíveis (!?) seria a de um carro voador. A Terrafugia, empresa americana, apostou nessa ideia e lançou o primeiro carro comercial que voa; o Transition. O veículo ainda não entrou em escala industrial de produção, porém reservas para as primeiras unidades já podem ser feitas através do site da empresa.

Para dizer adeus as horas perdidas no trânsito ou viajar mais rapidamente, o interessado vai desembolsar R$ 500 mil reais (cerca de U$ 240 mil dólares). No ar sua velocidade máxima é de 185 km/h e a de cruzeiro é de aproximadamente 172 km/h. Seu tanque de 87 litros, gasolina comum, garante um alcance de mais de 780 km. Para tirar as rodinhas do chão, são necessários 518 metros de pista livre (um jato comercial doméstico utilizaria cerca de 1400 metros).

No chão, ele pode recolher as asas e ser estacionado em uma garagem de tamanho convencional. Como carro, sua velocidade máxima é de 105 km/h gastando em média 1 litro para cada 14 km rodados. Seu peso vazio é 440 kg e pode levar até 210 kg de carga (incluindo os passageiros).

Fique tranquilo, se seu filho resolver pegar o carro avião escondido, ele conta com um sistema de paraquedas que suporta o veículo inteiro. Mas se você liberar a máquina para ele, a fabricante garante que são necessários apenas 20 horas de treinamento para desbravar os céus.


Marcelo Almirante
69 - 9985 7275

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Monotrilho e tuk-tuk: as novas alternativas

20/09/2012 - O Estado de S. Paulo

Dois novos tipos de transporte poderão ser vistos em breve nas ruas de São Paulo. Um deles é curioso, pequeno e chama a atenção por onde quer que passe. Trata-se do primeiro tuk-tuk nacional, que aqui ganhou o nome de triciclo para dois passageiros e acaba de ser homologado no Brasil. O segundo vai promover grande impacto no transporte coletivo. Em novembro, deve ser entregue o primeiro monotrilho fabricado no País, que promete ser o maior do mundo em capacidade de passageiros.

Na Índia, o tuk-tuk faz parte da frota formal de veículos , e como táxi chega a fazer 22 milhões de viagens por dia. No Brasil, surgiu recentemente como uma alternativa mais segura e confortável ao mototáxi em Manaus, Belém e Santarém. No mês que vem, chega a Campinas, Araras, Limeira, Barretos e Campo Grande. Nesses centros, a corrida de tuk-tuk custa em média R$ 2, qualquer que seja a distância. Já o preço do veículo varia de R$ 8,58 mil a R$ 13,5 mil.

A Motocar, primeira fábrica nacional deste tipo de transporte, já vendeu 200 veículos no País. A reportagem do Estado testou a novidade na Avenida Paulista, região central de São Paulo, das 16h às 18h30. O triciclo tem capota e para-brisa - o que dispensa o uso do capacete. As janelas se parecem com as dos antigos Jeep Willys: são de plástico e podem ser enroladas. Os bancos vêm com cinto de segurança. E tem todos os itens básicos de segurança: breque de mão, espelhos retrovisores, farol e extintor de incêndio.

Os taxistas foram os mais interessados. "Acho que para curtas distâncias é uma boa alternativa, mas ninguém teria coragem de pegar um desses para ir até Guarulhos", comentou o motorista Maurício de Oliveira, há 18 anos na praça.

Carlos Alqueres, engenheiro especializado em trânsito, andou num tuk-tuk, em Nova Délhi, na Índia. "Fiquei 1h30 no congestionamento. Era como se estivesse respirando no escapamento dos carros. Mas ele diminuiu a violência no trânsito, por ser mais leve e vagaroso."

Convidados a dar uma volta na Paulista, vários pedestres ficaram receosos. Dá, sim, uma certa insegurança ao entrar no tuk-tuk. Como tem apenas três rodas, o veículo joga um pouco para os lados. Mas é só uma questão de costume. Com um motor 200 cc, o veículo sofre na subida, mas no plano vai bem, alcançando 70 km/h. É ideal para deslocamentos tranquilos. "Seria legal se tivesse um na saída da balada", sugeriu Manuela Maia, de 19 anos, que deu uma volta no tuk-tuk com a amiga Thais Domingues, também de 19.

Hi-tech. A outra novidade ainda não pode ser testada pelo público. A primeira unidade está sendo montada em uma fábrica da empresa canadense Bombardier em Hortolândia, no interior do Estado. É o primeiro monotrilho de alta capacidade do mundo, projetado para transportar até 54 mil pessoas por hora. Em cidades como Tóquio, no Japão, o veículo leva menos de 10 mil passageiros.

A promessa é que ajude a desafogar a Linha 3-Vermelha do metrô, da zona leste - tida como a mais lotada do mundo. O monotrilho não tem maquinista. Fica em um elevado de 10 a 15 metros de altura e, assim, circula longe do trânsito. Terá ar condicionado, câmeras de segurança e vagões sem divisões.

O primeiro vagão, segundo a empresa, deve ser entregue em novembro e a primeira composição - com sete vagões - em dezembro. Mas o paulistano só poderá experimentar a novidade na metade de 2013, quando a empresa planeja entregar o primeiro trecho da linha 15-Prata, que vai ligar a Vila Prudente ao bairro Oratório, na zona leste.

"Estamos prestes a colocar um trem com dois vagões em nossa pista de testes, no Canadá, dos modelos que vão rodar em São Paulo", disse o diretor de comunicação da empresa, Luis Ramos.


Enviado via iPhone

terça-feira, 25 de setembro de 2012

Estado do Rio se prepara para ser o maior produtor de veículos do Brasil

11/09/2012 - Agência Rio

O Estado do Rio vive a preparação para se tornar o maior polo produtor de veículos do país. Entre os investimentos para os próximos anos está a construção da nova fábrica da Renault-Nissan, na cidade de Resende - Município situado na região das Agulhas Negras, na divisa com os Estados de São Paulo e Minas Gerais, região do Médio Paraiba - que irá gerar 4 mil empregos diretos e indiretos quando entrar em operação, no primeiro semestre de 2014. Serão investidos R$ 2,6 bilhões na fábrica.

As empresas automobilísticas também estão aumentando sua capacidade de produção. É o caso da MAN Latin America, em Resende, que pretende ampliar o número de veículos montados de 280mil para 400 mil por ano.

No total, serão R$ 2,3 bilhões de recursos, que já começaram a ser aplicados este ano. O principal objetivo da empresa é aumentar a oferta de carros comerciais das marcas Volkswagen e MAN até 2016.

Assim como a MAN, a PSA Peugeot Citroën, em Porto Real, está expandindo os negócios no Estado do Rio. Com recurso de R$ 1 bilhão, a PSA irá investir no desenvolvimento de uma nova geração de veículos, em novas motorizações e tecnologias, e na construção de centro logístico de vendas e estoque.

MS

sexta-feira, 7 de setembro de 2012

Produção e venda de veículos batem recorde em agosto, diz Anfavea

06/09/2012 - Agência Estado, Gustavo Porto

No acumulado do ano, os emplacamentos chegaram a 2,5 milhões de unidades, uma alta de 5,5% sobre igual período de 2011

SÃO PAULO - Tanto a produção como a venda de veículos em agosto bateram recorde histórico, segundo informou nesta quinta-feira a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea). A produção de automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus no mercado brasileiro somou 329.266 unidades em agosto, uma alta de 10,6% na comparação com julho e avanço de 1,0% ante o mesmo período de 2011.

VEJA TAMBÉM

Com IPI menor, movimento nas lojas cresceu 2% em agosto
Carros ficam mais caros em agosto, apesar de IPI menor
Já as vendas de automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus aumentaram 15,3% em agosto ante o mês anterior, com 420.080 unidades, e avançaram 28,2% na comparação com agosto de 2011. Os recordes anteriores de vendas foram em dezembro de 2010, com 381.7 mil e a de produção foi em agosto de 2011, com 336.163 unidades.

Com o resultado, a produção acumula nos oito primeiros meses de 2012 queda de 7,2% sobre a mesma base de comparação de 2011. Considerando apenas automóveis e comerciais leves, a produção chegou a 313.196 unidades, alta de 11% ante o mês anterior e de 4,7% sobre agosto do ano passado.

A produção de caminhões atingiu 12.518 unidades, uma elevação de 0,2% ante julho e baixa de 44,6% sobre agosto de 2011. No caso dos ônibus, foram produzidos 3.552 unidades em agosto, aumento de 15,1% sobre o mês anterior e queda de 19.3% ante agosto do ano passado.

No acumulado do ano, os emplacamentos chegaram a 2.501.192 unidades, uma alta de 5,5% sobre igual período de 2011.

Exportação

As exportações do setor automotivo brasileiro, em valores, somaram US$ 1,424 bilhão em agosto, uma alta de 19,5% em relação ao mês de julho e um recuo de 3,5% na comparação com agosto de 2011, segundo a Anfavea. Os valores consideram as exportações de autoveículos e máquinas agrícolas.

O mês de agosto encerrou com 42.464 automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus exportados, um avanço de 42,8% ante julho e uma queda de 9,5% sobre o mesmo período do ano passado.

As vendas externas somaram ao final dos oito primeiros meses deste ano US$ 10,13 bilhões, uma queda de 3% sobre igual período de 2011. Neste intervalo, foram exportadas 295.354 unidades de automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus, resultando em um recuo de 15,1% ante o mesmo período de 2011.

Emprego

O setor automotivo encerrou o mês de agosto com 147.731 empregados, o que representa uma alta de 0,1% em relação a julho. Na comparação com agosto de 2011, houve avanço de 2,1% no contingente de empregados, considerando autoveículos e máquinas agrícolas.

O segmento de autoveículos registrou crescimento de 0,1% ante julho no contingente de empregados, totalizando 127.747. Em relação ao mesmo mês do ano passado, o avanço foi de 2,0%.

O segmento de máquinas agrícolas teve estabilidade no número de empregados na comparação com julho e registrou 19.984 funcionários. Na comparação com agosto de 2011, houve uma alta de 3,1%