segunda-feira, 26 de novembro de 2012

JAC Motors enterra carro em lançamento de fábrica na BA

26/11/2012 - O Estado de São Paulo

O 1° JAC trazido para o País ficará 20 anos enterrado com bilhetes de funcionários, que serão lidos em 2032

Tiago Décimo, Agência Estado

SALVADOR - Um veículo modelo J3 vermelho, placa JAC-0003, registrada em São Paulo, foi enterrado em uma caixa de concreto, nesta segunda-feira, no terreno onde a JAC Motors vai construir sua primeira fábrica no Brasil, em Camaçari (BA), na região metropolitana de Salvador.

A ação fez parte do lançamento da pedra fundamental do empreendimento, que deve receber investimentos de US$ 600 milhões e tem previsão de inauguração no fim de 2014. A expectativa é que a unidade produza 100 mil carros por ano em seus 650 mil metros quadrados de área construída. No terreno, de 6,5 milhões de metros quadrados, haverá também uma escola de ensino básico. A unidade deve gerar 3,5 mil vagas de trabalho.

Segundo o presidente da montadora no País, Sérgio Habib, dentro do carro enterrado foram colocadas cerca de 2 mil mensagens, de funcionários e clientes da empresa, além de fotografias e objetos de uso cotidiano, como um telefone celular, um computador, lâminas de barbear e refrigerantes.

"Estamos fazendo uma cápsula do tempo, que será aberta em 20 anos", diz o empresário. Ele explicou que o prazo de duas décadas foi decidido depois de uma negociação com o governador baiano, Jaques Wagner. "Eu queria fazer 50 anos, mas concordamos que a chance de estarmos aqui na abertura depois de tanto tempo não era muito grande. E queremos participar desse momento."
O veículo escolhido para ser enterrado foi o primeiro J3 que chegou ao Brasil, ainda na fase de testes do modelo. Segundo Habib, o carro está com 243 mil quilômetros rodados e foi dirigido por diversos funcionários da empresa, além de dez taxistas - que transmitiram suas opiniões sobre o carro para o desenvolvimento de melhorias.

Carro popular

Segundo Habib, o primeiro modelo que será fabricado na unidade está em fase de desenvolvimento. "Está fechado que será um hatch, com preços entre R$ 30 mil e R$ 42 mil, bem ao gosto do mercado local (nordestino e baiano)", disse.

Entre os presentes no evento, estavam Wagner, o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel, o embaixador da China no Brasil, Li Jinzhang, e o presidente mundial da JAC, An Jin. "Quero agradecer o carinho com que as famílias brasileiras receberam a JAC Motors", disse o executivo chinês, lembrando que o Brasil respondeu por quase metade dos veículos exportados pela montadora no ano passado (24 mil de 66 mil carros). "Temos confiança de que o mercado brasileiro continuará em forte crescimento."

Já o governador Jaques Wagner disse esperar que a Bahia se transforme na principal entrada de investimentos produtivos da China no Brasil. "Já temos mais uma montadora chegando (a Foton, que anunciou uma fábrica de veículos comerciais leves, orçada em US$ 300 milhões, também em Camaçari), mas estamos trabalhando essa parceria em outras áreas, como no agronegócio no oeste do Estado, que deve receber um grande investimento chinês em breve para processamento de soja."


Enviado via iPhone

terça-feira, 6 de novembro de 2012

Empresas desenvolvem projeto para viabilizar carregadores de veículos elétricos no Brasil

06/11/2012 - Eco Desenvolvimento

Foto: Reprodução
Avaliar cenários, experimentar e mensurar os impactos da introdução de eletropostos no Brasil. Esse é o objetivo do projeto de recarga de veículos elétricos desenvolvido para o país. A iniciativa apresentou três tipos de carregadores: o QC50 (considerado rápido), o público e o residencial.

Desenvolvido pelas empresas Afacec, EDP, Instituto de Eletrotécnica e Energia da Universidade de São Paulo (IEE/USP), Fundação Instituto de Administração (FIA) e a Sinapsis.

O projeto instalou o primeiro posto de carregamento rápido para que concessionárias e montadores realizem testes de infraestrutura, produtos e serviços necessários para atender a demanda brasileira. O eletroposto está localizado no IEE, em São Paulo.

Segundo a EDP, o projeto indica um passo à frente nas questões de eficiência energética e da sustentabilidade ambiental. "Será possível estudar o uso da mobilidade elétrica e seus impactos na rede de distribuição, principalmente nos grandes centros urbanos onde há maior expectativa de utilização desta tecnologia", afirmou Miguel Setas, vice-presidente de Distribuição da EDP no Brasil, à Associação Brasileira do Veículo Elétrico (ABVE).

O carregador rápido segue especificações da Europa, Japão e EUA, além disso, possuem 50kW de potência de saída em corrente contínua. Nos eletropostos, os veículos com uma autonomia em torno de 180km levarão até 30 minutos para recarga da bateria, que é normalmente limitada em 80% de sua capacidade máxima, para evitar danos.

Os pontos de abastecimento de recarga lenta levam até oito horas para realizar a mesma tarefa.

Os autores do projeto apontaram que o país pode aproveitar a oportunidade da utilização dos veículos elétricos para disseminar o uso de fontes renováveis.

Conheça mais sobre os carregadores, em inglês (PDF):

QC50
Público
Residencial

Fonte: Eco Desenvolvimento



Enviado via iPhone

Empresas desenvolvem projeto para viabilizar carregadores de veículos elétricos no Brasil

06/11/2012 - Eco Desenvolvimento

Foto: Reprodução
Avaliar cenários, experimentar e mensurar os impactos da introdução de eletropostos no Brasil. Esse é o objetivo do projeto de recarga de veículos elétricos desenvolvido para o país. A iniciativa apresentou três tipos de carregadores: o QC50 (considerado rápido), o público e o residencial.

Desenvolvido pelas empresas Afacec, EDP, Instituto de Eletrotécnica e Energia da Universidade de São Paulo (IEE/USP), Fundação Instituto de Administração (FIA) e a Sinapsis.

O projeto instalou o primeiro posto de carregamento rápido para que concessionárias e montadores realizem testes de infraestrutura, produtos e serviços necessários para atender a demanda brasileira. O eletroposto está localizado no IEE, em São Paulo.

Segundo a EDP, o projeto indica um passo à frente nas questões de eficiência energética e da sustentabilidade ambiental. "Será possível estudar o uso da mobilidade elétrica e seus impactos na rede de distribuição, principalmente nos grandes centros urbanos onde há maior expectativa de utilização desta tecnologia", afirmou Miguel Setas, vice-presidente de Distribuição da EDP no Brasil, à Associação Brasileira do Veículo Elétrico (ABVE).

O carregador rápido segue especificações da Europa, Japão e EUA, além disso, possuem 50kW de potência de saída em corrente contínua. Nos eletropostos, os veículos com uma autonomia em torno de 180km levarão até 30 minutos para recarga da bateria, que é normalmente limitada em 80% de sua capacidade máxima, para evitar danos.

Os pontos de abastecimento de recarga lenta levam até oito horas para realizar a mesma tarefa.

Os autores do projeto apontaram que o país pode aproveitar a oportunidade da utilização dos veículos elétricos para disseminar o uso de fontes renováveis.

Conheça mais sobre os carregadores, em inglês (PDF):

QC50
Público
Residencial

Fonte: Eco Desenvolvimento



Enviado via iPhone

sexta-feira, 2 de novembro de 2012

Montadora brasileira projeta venda de modelo elétrico nacional para 2012

23/10/2012 - CicloVivo

Os carros elétricos podem ganhar força no Brasil

Além de ser uma opção sustentável no combate às emissões de gases de efeito estufa liberados pela indústria automotiva, o negócio pode colocar o país entre os fabricantes mundiais de veículos elétricos.

A empresa responsável por este projeto é a VEZ – Veículos de Emissão Zero, que já projetou seu primeiro modelo e espera disponibilizá-lo comercialmente ainda neste ano. O resultado é fruto de um trabalho de pesquisas idealizado pelo engenheiro eletricista e diretor-presidente da empresa, Tony Saad, em parceria com instituições de ciência e tecnologia e universidades brasileiras.

Após diversas análises a empresa chegou ao protótipo ideal, um carro compacto, com capacidade para carregar duas pessoas, autonomia de cem quilômetros e velocidade que chega aos 120 km/h. Todos os detalhes foram pensados para suprir as necessidades de moradores de grandes cidades, em que os carros normalmente trafegam com apenas dois passageiros.

O automóvel foi batizado de Seed, uma sigla do inglês Small Eletric with Economic Design (pequeno carro elétrico com design econômico, em tradução livre). Ele é totalmente elétrico e a empresa oferece dois anos de garantia total e quatro anos para a bateria.

Assim como acontece com os veículos elétricos feitos por montadoras internacionais, o Seed poderá ser recarregado em qualquer tomada, levando, em média, sete horas, para que a carga seja completa. No entanto, também existe a opção de carga rápida, em que a bateria é capaz de recuperar 80% de sua capacidade em apenas 20 minutos. No entanto, este é uma escolha que deve ser feita apenas em casos de urgência, pois pode reduzir a vida útil da bateria, e esta recarga só pode ser feita em um eletroposto.

Além do benefício ambiental, o empresário garante que o Seed é bastante atrativo financeiramente. Segundo ele, os gastos são cinco vezes menores, quando comparados aos veículos a gasolina. Se o modelo a combustão representa um gasto mensal de R$ 500, o elétrico consumirá apenas R$ 100. Outro benefício é a baixa manutenção, que se restringe à troca de pastilhas de freios e pneus.

Saad explica que a venda do veículo será iniciada em Curitiba, mas que existe a pretensão de expandir a comercialização para todas as cidades brasileiras com mais de 500 mil habitantes. O preço médio do Seed será de R$ 48 mil, no entanto, se a empresa conseguir incentivos fiscais, ele pode chegar a R$ 20 mil. A montadora também pretende desenvolver dois modelos de utilitários a serem comercializados em 2013. Com informações do Terra. m


Enviado via iPhone